Você precisa nos contactar?

Trakto.io


Trakto: conheça a startup nordestina acelerada pelo Google

Empreender fora do eixo do Sudeste em muitos casos se resume em investir em serviços ou turismo, principalmente nos estados do Nordeste. Mas há quem persista, como o empresário alagoano Paulo Tenório, fundador da Trakto, primeiro editor de design da América Latina. A startup foge totalmente do que é esperado do empresário nordestino e investe em inovação. Por isso, ao entrar no site da Trakto talvez você se espante ao saber que é um site brasileiro, nordestino, alagoano. A plataforma concorre diretamente com o Canva.

A empresa surgiu quando o marketing digital ainda engatinhava. "Ninguém usava essa expressão ainda", conta Tenório, que teve a ideia de criar um editor de imagens voltado para redes sociais quando morava nos Estados Unidos e trabalhava com criação.

Ele acabou voltando para o Brasil por causa de questões familiares e resolveu investir na sua ideia. Então, fundou a Trakto em 2013. Mas foi três anos depois que a empresa ganhou novo fôlego, ao participar do programa de residência Google for Startups. Durante seis meses no campus em São Paulo, o empresário e o sócio Jorge Henrique trocaram experiências com startups de todo o Brasil e aprenderam com os erros e acertos umas das outras.

A gerente de Marketing da Google for Startups, Giovanna De Marchi, explica que a primeira turma do programa ajudou a formatar o programa. "A Trakto foi a primeira do Nordeste a participar do programa e ajudou a formatar o que seria o programa, que atende às necessidades de cada startup, conforme o seu estágio de crescimento", explica.

"A gente quis fazer pela comunidade. Temos o orgulho de ser uma startup que não saiu de Alagoas para conseguir crescer", diz Tenório.

O que é a Trakto?

É uma plataforma voltada para o marketing digital, na qual o usuário pode produzir conteúdo para diversas redes sociais em diferentes formatos. Do Stories do Instagram ao banner do Facebook. Além disso, é possível criar ebooks, apresentações, cartões de visitas, folders e flyers. Dentro da plataforma, o usuário tem acesso a um banco com 5 milhões de imagens.

Agora, a empresa se prepara para lançar uma versão mais atualizada e mais barata em 2020. O valor deve sair dos R$ 57 para R$ 25. "Vamos refazer toda a interface do editor e todos os arquivos estarão na nuvem. Vamos trabalhar com imagem e vetor dos arquivos, para facilitar a vida do usuário. Além disso, ele vai poder adaptar um mesmo produto a vários formatos", adianta Tenório.

Enquanto empresa, as perspectivas também são boas, com a previsão de ampliar o quadro de funcionários de 23 para 50. Em 2018, ela faturou R$ 1,2 milhão e a expectativa é chegar a R$ 2 milhões neste ano e dobrar para R$ 4 milhões em 2020. 

O editor feito para o empreendedor brasileiro vender nas redes

Seja o primeiro a ler as novidades!